Pular para o conteúdo principal

Mães especiais fazem de rede social um ambiente solidário

Mães esperciais
Elas não um CNP, nem tão uma sede própria , o estatuto que orientam as ações desse grupo tem apenas um   item : amor de mãe .Foi assim que um grupo de mães de crianças com necessidades especiais se organizam através do face bock para levar carinho , informações e ajuda a famílias carentes . hoje o grupo ,’troca-troca de mães especiais’ , criado pela dona de casa Linda Franco, que mora em Curitiba – PR, já conta com 2843 membros e ajuda famílias de todos o Brasil.
O grupo faz doação de fraldas geriátricas , leite especiais  e outros materiais hospitalares para crianças e jovens com graves problemas de saúde, como seu filho, Gabriel Franco , 11 anos ,  e desde os sete vive com as sequelas da  adrenoleucodistrofia, também conhecida como ‘doença de Lorenzo’ . A doença degenerativa  que afeta o sistema neurológico de forma grave. Mas a força de Linda fez com que ela não parasse diante o problema do filho e, juntamente com outras mães  , formasse uma verdadeira rede de solidariedade . Mas o que teria motivado Linda a começar toda essa rede? Ela mesma responde.
-‘Poder ajudar mais e mais famílias, ampliar o trabalho que iniciei dentro do Hospital aqui em Curitiba. Durante três anos nossa rotina foi dentro de um hospital, conheci muitas famílias que precisam de material hospitalar, fraldas, medicamentos. Assim nasceu uma corrente do bem onde as mães especiais se ajudam. Antes essas mães ficavam dentro de casa achando que apenas ela tinha uma vida a parte na sociedade, através do grupo surgiram muitas amizades.’ Disse ela ,  
Linda Franco

A força de Linda contagiou outras mães de crianças especiais que se articulam de forma exemplar . hoje o grupo da mãe do ‘Gabi’; da mãe da Ana Beatriz  contam com  mais de 2000  mães que formam uma verdadeira legião do bem. E a coisa funciona bem assim : se a Cristiane tem luvas sobrando , ela divulga e logo encontra quem precisa . e assim, de um jeito que só mãe saber é que se forma essa circulo do bem  que já ultrapassou as fronteiras do país.
‘Desde fevereiro do ano passado, estamos ajudando, já enviei cadeira de rodas para o Paraguai. Tenho mãe em Londres juntando material hospitalar para nos enviar Já conseguimos muita cama hospitalar, equipamentos, curativos, leites especiais.’ cadeiras. Diz ela.
Que bom que nossos governantes e as megas ong aprendesse a lição simples e genuína que esse grupo nos ensina :ajudar o próximo é simples , bastar querer .

MAIS INFORMAÇÕES
https://www.facebook.com/groups/trocatrocaentremaesespeciais/]

http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2013/09/mae-de-filho-com-doenca-rara-cria-pagina-na-web-para-trocar-doacoes.html


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Central carioca de Libras ajuda pessoas surdas vencer a barreira da comunicação

Imagine viver em um país ou ambiente onde ninguém , ou pouquíssimas pessoas compreender a sua língua . Pois essa é a realidade de seis milhões de brasileiros que são surdos e tem na Lingua Brasileira de Sinais, a Libras, o único modo de comunicação e de interação com o mundo. No entanto, a Libras ainda é totalmente desconhecida por grande parte da população brasileira. A falta de conhecimento da Libras faz com que esses brasileiros enfrentem cotidianamente diversas situações de preconceito e exclusão.  é um programa da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência que visa auxiliar a comunicação das pessoas surdas em diversas situações . a central atua mediando a comunicação dessa pessoa surda seja quando ela precisa ser atendida num serviço publico , ser ouvida num processo judicial, numa consulta medica e em muitas outras situações em que essas pessoas necessite de ajuda de um interprete O programa vem funcionando desde 2010  e mensalmente atende a cerca de 300 usuários com as mai…

Professor usa informática para promover inclusão de alunos com deficiência visual

Mais do que um professor de informática, Marcio Maciel é prova de que as limitações estão aí para serem superadas. Desde a infância com baixa visão, ele é o responsável pela Oficina de Informática para estudantes da rede municipal de ensino que apresentam algum tipo de deficiência visual. Promovida pelo Instituto Helena Antipoff (IHA), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Educação, a oficina tem a tarefa de fazer com que as ferramentas tecnológicas desenvolvidas para pessoas com deficiência visual sejam utilizadas para favorecer o processo de aprendizagem e de inclusão. O trabalho de Marcio, que há seis anos está à frente da oficina, divide-se entre as aulas que ministra para os alunos no Instituto e a capacitação de professores que trabalham nas salas de recursos. -  Com o tempo, a gente percebeu que muitos alunos não poderiam vir ao Instituto, como os que estudam em Campo Grande e Santa Cruz. Então começamos a ir até esses alunos através da capacitação do professor, levando o c…

Brasil começa paraolimpíadas em grande estilo

A penas nessa sexta-feira (8) , primeiro dia dos jogos paraolímpicos Rio 2016, a delegação brasileira subiu quatro vezes no pódio . A primeira medalha veio com Odair Santos, que garantiu a prata ao completar os 5000m T11 em 15min17s55, atrás do queniano Samwel Mushai Kimani, que fez 15min16s11. Pouco depois, Ricardo Costa ultrapassou o recordista mundial Lex Gillette (EUA) em seu último salto, alcançando 6m52 e conquistando o ouro numa prova emocionante, que agitou torcida presente do Estádio Olímpico do Engenhão.

Daniel Dias começou a aumentar sua coleção de medalhas no Estádio Olímpico de Esportes Aquáticos. Até então, o nadador era dono de 15, sendo 10 de ouro, quatro de prata e uma de bronze, de edições anteriores de Jogos Paraolímpicos. A 11ª medalha dourada – e 16ª no total – veio nos 200m livre S5, numa prova que foi dominada por Daniel do início ao fim. O astro brasileiro das piscinas ainda vai disputar outras oito provas na competição, podendo chegar a impressionantes 24 pód…